Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Receita Federal vai usar blockchain para compartilhar base de dados de CPF

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A Receita Federal anunciou que vai utilizar a tecnologia de blockchain para compartilhar dados do Cadastro de Pessoa Física (CPF) com outras entidades governamentais. Segundo a Receita, existem atualmente mais de 800 convênios de troca de informações firmados entre ela e outras entidades. A informação foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (21).

Com a nova norma, fica prevista a criação do bCPF, uma versão em blockchain da base de dados com o número de identificação utilizado pelos cidadãos brasileiros. Para a Receita, esse é mais um passo no sentido de desenvolver mecanismos seguros e eficientes ao mesmo tempo que simplifica o compartilhamento da base cadastral.

O blockchain será utilizado com a abordagem de rede permissionada, garantindo que apenas as entidades autorizadas pela Receita Federal tenham o acesso liberado. Será possível participar dessa rede de três formas: consumindo dados; contribuindo sobre um campo do dado e, por fim, alterando o dado. A ideia é que essa implementação possa servir como base para futuras soluções do Governo.

No anúncio, a Receita destacou ainda que toda a tecnologia utilizada é baseada em software livre e seu código fonte pode ser auditado pelos cidadãos. Desenvolvido em parceria com a Dataprev, o projeto está em fase piloto no Conselho de Justiça Federal (CJF) e a migração completa para a blockchain deve acontecer em seis meses.

Fonte: Tecmundo | 22/11/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114