Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Maior participação de pequenas empresas nas compras públicas

maisCotações e Índices

Moedas - 24/04/2019 13:20:34
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,973
  • 3,974
  • Paralelo
  • 3,920
  • 4,130
  • Turismo
  • 3,810
  • 4,130
  • Euro
  • 4,445
  • 4,447
  • Iene
  • 0,036
  • 0,036
  • Franco
  • 3,901
  • 3,900
  • Libra
  • 5,139
  • 5,140
  • Ouro
  • 161,030
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 24/Abril/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Nas contratações da administração estadual, deverá ser concedido tratamento diferenciado, favorecido e simplificado às microempresas e empresas de pequeno porte, objetivando a promoção do desenvolvimento econômico e social no âmbito regional, a maior eficiência das políticas públicas e o incentivo à inovação tecnológica.

Este é o artigo primeiro do Projeto de Lei 1.012/2017, apresentado pelo deputado Itamar Borges, presidente da Frente Parlamentar do Empreendedorismo e combate à Guerra Fiscal. A iniciativa é fruto dos trabalhos desenvolvidos no âmbito da frente, que reuniu e recebeu sugestões de parlamentares, técnicos, empreendedores, especialistas e representantes de instituições como Fiesp, Sebrae, Facesp, Sescon-SP, FecomercioSP e Bolsa Eletrônica de Compras – BECSP, com a finalidade de atualizar a legislação estadual que visa a incrementar a participação dos empreendedores de pequeno porte no processo de desenvolvimento econômico e social do Estado.

 “O desenvolvimento do Brasil e do Estado de São Paulo passa pela criação de políticas públicas que fortaleçam as micro e pequenas empresas, que representam cerca de 98% do total de empresas do país e geram emprego e renda para a população”, destaca Itamar Borges.

Das experiências internacionais é sabido que o uso do poder de compra pelo estado permite que o fluxo de negócios e a geração de renda se distribuam num contexto de mercado local ou regional, e que os incentivos à produção local ampliam a renda das famílias, criando assim um ciclo virtuoso de desenvolvimento, gerando aumento de receitas públicas que poderão reverter na melhoria dos serviços públicos e em programas de ações sociais.

O projeto prevê realizar processo licitatório destinado exclusivamente à participação de microempresas e empresas de pequeno porte nos itens de contratação cujo valor não exceda R$ 80 mil. Em certames para aquisição de bens de natureza divisível, haverá uma cota de até 25% do objeto para a contratação de MPEs. Também será estimulada a subcontratação de microempresa ou empresa de pequeno porte e poderá haver prioridade de contratação às empresas sediadas regionalmente.

Fonte: Fenacon.org.br | 19/07/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114