Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Extensão maliciosa no Chrome ataca quem acessa banco pela internet; evite

maisCotações e Índices

Moedas - 14/06/2019 13:15:14
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,896
  • 3,897
  • Paralelo
  • 3,860
  • 4,050
  • Turismo
  • 3,740
  • 4,050
  • Euro
  • 4,370
  • 4,371
  • Iene
  • 0,036
  • 0,036
  • Franco
  • 3,902
  • 3,901
  • Libra
  • 4,912
  • 4,913
  • Ouro
  • 164,950
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Junho/2019
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Os brasileiros que usam o internet banking precisam ficar atentos para não caírem em golpes. Segundo os pesquisadores de segurança da Kaspersky Lab, foi detectada uma extensão maliciosa para o navegador Chrome.

A extensão "Unblock Content" já foi responsável por ataques a 98 clientes de vários bancos brasileiros. O golpe foi desenvolvido para roubar as credenciais dos usuários, como logins, senhas e números de identificação. Com essas informações, os cibercriminosos também podem roubar dinheiro das vítimas.

O golpe utilizado copiou o botão "Fazer login" dos bancos para que, quando o usuário inserisse suas credenciais, elas fossem passadas não apenas para os sistemas bancários online, como também para o servidor dos cibercriminosos.

Em geral, as extensões maliciosas tendem a utilizar diferentes técnicas para impedir detecções realizadas por soluções de segurança. No entanto, devido ao protocolo WebSocket, os autores do golpe conseguem estabelecer uma comunicação em tempo real com o servidor de controle. O ataque, por sua vez, redireciona o tráfego de usuários para esse servidor de controle, que age como um servidor proxy para quando a vítima visita sites de bancos.

A orientação de especialistas de segurança é de que o internauta evite instalar extensões que não sejam oficiais dos bancos. Além disso, o ideal é entrar na página do banco, conferir se ela é original e se está protegida, para depois realizar o login.

Fonte: Olhar Digital | 07/06/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114