Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

8 habilidades essenciais que não aprendemos nas escolas ou faculdades

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

É comum encontrar antigos colegas, pessoas que tinham excelente desempenho na escola ou universidade, mas que não são felizes com o que fazem e não atingiram os seus objetivos. Tenho refletido bastante sobre isto, tendo em vista que, mesmo não tendo sido um bom aluno (minhas notas eram sofríveis), consegui alcançar os objetivos que me propus e me considero realizado até então.

Faço esta reflexão com base não só na minha experiência, mas analisando pessoas que considero de sucesso. É comum encontrar pessoas bem sucedidas no que se propuseram, e que nunca frequentaram uma faculdade, mas possuem um algo a mais que as levou a outro patamar.

Descobri com esta reflexão que existem algumas habilidades vitais para conquistarmos o que desejamos, para sermos bem-sucedidos, mas que, infelizmente, não são ensinadas nas escolas ou universidades.

Acredito que todos deveríamos aprender estas habilidades desde cedo. Com elas, com certeza teríamos um melhor desempenho pessoal e profissional. Mas afinal, quais são as principais habilidades que todos deveríamos aprender? Vamos lá:

1. Estabelecer metas e ter produtividade

Quer saber como tirar ideias do papel e fazer as coisas acontecerem? O ensino tradicional simplesmente não te prepara para isso.

Tudo começa com o estabelecimento das metas. Elas são importantes para nos mostrar – e lembrar – uma direção. Precisam estar sempre alinhadas com o nosso propósito e objetivos de longo prazo. Costumo dizer que uma pessoa sem metas é como um barco perdido no mar: está a deriva e não sabe para onde ir. Acaba muitas vezes indo para o caminho errado, e o pior: sem nem se dar conta disso. Ter metas claras nos mantém em movimento, nos guia durante o caminho e nos auxilia a tomar as melhores decisões para nós mesmos. Recomendo que além, de claras, elas sejam desafiadoras também, para que busquemos sempre nos superar e ser melhores a cada dia.

Totalmente em linha com as metas, está a nossa produtividade e capacidade de agir para atingi-las. Quantas vezes fazemos metas no final do ano, e ainda assim, ano após ano seguimos sem executá-las? Saber fazer um bom plano de ação para o atingimento das suas metas e executá-los, certamente pode nos fazer chegar a um outro nível, nos fazendo sentir realizados e felizes com nossas vidas. E isso é algo que as instituições tradicionais não nos ensinam.

2. Ter inteligência financeira

Existem algumas estatísticas incríveis – e assustadoras – sobre finanças pessoais:

– No Brasil, o endividamento das famílias é de 46,3%, e está entre os maiores patamares da história;

– 55% dos usuários de cartão de créditos desconhecem juros cobrados;

– Aproximadamente 70% das pessoas que ganham na loteria vão a falência;
– Apenas 1% dos brasileiros conseguem manter o padrão de vida após a aposentadoria.

 As estatísticas falam por si só. Conhecer suas finanças pessoais, ter um bom planejamento de curto, médio e longo prazo, além de saber como investir ou obter créditos de maneira inteligente deveriam ser habilidades ensinadas nas escolas, para todos, independente da profissão.

Há disponível uma riquíssima literatura sobre o tema, dos quais recomendo: “Pai Rico Pai Pobre”; “O homem mais rico na Babilônia”. Livros nunca mencionados pelas instituições tradicionais de ensino.

3. Tratar erros como oportunidades de aprendizado

Se você não estiver preparado para errar, nunca terá uma ideia original. Arrisco dizer que não só não terá uma ideia original, como também não terá sucesso, pois pode ter certeza: todas as pessoas de sucesso também falharam. Ainda assim, desde cedo somos programados para achar que errar é ruim. Na escola aprendemos que só existe uma resposta certa para cada pergunta. E o aluno que respondesse certo e mais rápido, ganhava pontos e boas notas.

Muitos gênios, fundadores de empresas inovadoras e até ganhadores de prêmio Nobel erraram. E a partir destes erros criaram algo inovador e tiveram grandes acertos.

Thomas Edison, por exemplo, costumava dizer: “Eu não falhei, apenas encontrei 10.000 maneiras que não funcionavam”.

Uma das melhores formas de aprendizado que existe é o erro. Devemos, portanto, fortalecer o desenvolvimento de uma cultura de erro construtivo e colaborativo afim de que possamos acertar mais. Cometer novos erros e aprender com eles é uma habilidade essencial que qualquer pessoa de sucesso tem.

4. Ter boas relações e capacidade de comunicação

Para uma habilidade tão essencial para o sucesso (tanto para amizades, quanto relacionamentos e na carreira), é impressionante o quanto tão pouca gente reconhece e tem conhecimento dessa habilidade.

Por muito tempo pensei que esta fosse uma habilidade que pessoas nasciam, ou tinham a sorte de ter. Na verdade, esta é sim uma habilidade que pode ser desenvolvida e aprimorada.

Quando era jovem, e estava na busca do meu primeiro estágio, sempre senti que não tinha boa habilidade de comunicação. Para melhorar isso, agendei 100 entrevistas diferentes em duas semanas, da qual a grande maioria eu não tinha interesse nas vagas. Qual era meu objetivo? Treinar, treinar e treinar. O resultado foi excepcional, e quando fui entrevistado para valer, passei na vaga que eu mais queria em uma grande multinacional.

5. Marketing básico

Mesmo que você pense que não tem nada a ver com marketing, você faz marketing todos os dias e precisa dele.

Uma ideia no trabalho, um aumento de salário, ou convencer seus amigos para um plano diferente no final de semana. Em todos estes exemplos, é possível encontrar vários momentos em que você precisará de fundamentos de marketing.

Mesmo que você só esteja escolhendo uma “hashtag” legal para seu post no facebook, você precisa pensar no seu público alvo e em uma mensagem que faça sentido e chame a atenção deles. Isso é puro marketing e, mais uma vez, não se ensina na escola.

6. Desenvolver autoconhecimento e inteligência emocional

Em média, passamos por aproximadamente 13 problemas ao dia. Isso representa 13 situações nas quais somos desafiados, que não vão em linha com as nossas expectativas, e temos que enfrenta-las. Como tratamos cada um destes obstáculos é o que faz diferença na nossa vida. Na maior parte das vezes, situações difíceis vem de pequenos problemas que não foram tratados, e se transformam em situações mais complexas, que sugam a nossa energia.

Dentre os diversos fatores que nos fazem vencer ou não estes obstáculos, temos o autoconhecimento e a inteligência emocional. Um elevado nível de autoconhecimento envolve bastante reflexão e discussão de valores pessoais, enquanto inteligência emocional te permite a compreender melhor as próprias emoções e dos demais, promovendo o seu crescimento e do grupo.

7. Ser criativo

“Todas as crianças nascem criativas. Nós é que tiramos isso delas, e de uma forma cruel”. Palavras ditas por Ken Robinson, em uma das palestras do TED mais assistidas da história. Nesta palestra, Ken analisa de forma profunda e divertida como o sistema educacional tem ajudado a enfraquecer a capacidade inventiva com a qual todos nascemos.

Robinson explica que esse sistema começou a ser formado no Séc. XIX por conta da Revolução Industrial e da necessidade de capacitar pessoas com disciplinas úteis ao novo modelo de trabalho, altamente repetitivo e operacional.

Criatividade é uma habilidade que pode ser aprendida e estimulada, por qualquer pessoa e de qualquer idade.

8. Ter pensamento crítico

Pensamento crítico é a habilidade de pensar claramente e racionalmente, entendendo a relação lógica entre as informações disponíveis.

Indivíduos com pensamento crítico desenvolvido tem a capacidade de:

– Entender e conectar ideias

– Determinar a importância e relevância de argumentos

– Reconhecer, construir e comunicar argumentos

– Identificar e reconhecer inconsistências lógicas

– Tomar decisões de forma mais assertiva

Diariamente temos que tomar inúmeras decisões em nossas vidas. Ter a capacidade de ir além das descrições e avaliar e pesar os prós e contras, as forças e fraquezas de qualquer argumento é essencial para a tomada de decisão assertiva.

Conclusão

É um fato que as instituições tradicionais não nos preparam plenamente para a vida, e por isso precisamos buscar fora delas algumas habilidades vitais para o nosso sucesso.

Com este propósito, lançamos o Curso Conquer: Desenvolvido no Vale do Silício, a Conquer transforma a vida de seus alunos por meio de um curso complementar prático e inovador, no qual o participante desenvolverá habilidades que irão ajudá-lo a chegar mais longe.

https://escolaconquer.com.br     23/05/2018

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114