Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Dólar fecha em baixa e vai a R$ 3,22 nesta sexta-feira, em sintonia com exterior

maisCotações e Índices

Moedas - 11/12/2018 16:38:47
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,917
  • 3,919
  • Paralelo
  • 3,900
  • 4,090
  • Turismo
  • 3,760
  • 4,080
  • Euro
  • 4,432
  • 4,434
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,943
  • 3,943
  • Libra
  • 4,903
  • 4,905
  • Ouro
  • 155,800
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 13/Dezembro/2018
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras.
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O dólar voltou a fechar em queda ante o real nesta sexta-feira (16), após mais cedo operar em alta, em sintonia com a trajetória no exterior. Dados fortes sobre a economia dos Estados Unidos trouxeram de volta a percepção de aumento de juros mais rápido no país, o que poderia afetar o fluxo de capital global.

A moeda norte-americana recuou 0,41% frente ao real, vendida a R$ 3,2206. Veja a cotação. Na semana, o dólar perdeu 2,48%.

A cena política interna também continuou no radar dos mercados, com a intervenção federal na segurança pública no Estado do Rio de Janeiro colocando em risco a votação da reforma da Previdência, que já era vista com muito ceticismo pelos investidores, segundo a Reuters.

Internamente, os investidores acompanharam as negociações sobre a votação da reforma da Previdência, agora afetada pela intervenção do governo na segurança pública do Rio de Janeiro, uma vez que a Constituição veta emendas constitucionais na vigência de intervenção federal, segundo a agência.

O governo batalhava para colocar a matéria em votação até o final deste mês, mas ainda não havia conseguido o apoio político mínimo.

"Pode não ter votação da Previdência, mas o mercado já não estava muito confiante que isso aconteceria", afirmou à Reuters o diretor de operações da corretora Mirae, Pablo Spyer.

No exterior, o dólar firmou alta ante uma cesta de moedas depois de ter atingido mais cedo o menor nível desde dezembro de 2014.

Na semana passada, a moeda norte-americana chegou a saltar à casa de R$ 3,30 após dados econômicos mais fortes nos Estados Unidos alimentarem percepções de que o Federal Reserve, banco central do país, poderia elevar os juros num ritmo mais forte do que o esperado. Mas esse cenário perdeu fôlego nesta semana.

Juros maiores tendem a atrair para a economia norte-americana recursos aplicados hoje em outras praças financeiras, como a brasileira.

O Banco Central vendeu integralmente a oferta de até 9.500 contratos de swap cambial tradicional --equivalentes à venda futura de dólares-- para rolagem do vencimento de março. Desta forma, já rolou US$ 2,850 bilhões do total de US$ 6,154 bilhões que vencem no mês que vem.

Mantido esse volume diário até o final do mês e vendendo os lotes todos, rolará integralmente os swaps que vencem agora.

Véspera
Na véspera, a moeda norte-americana fechou em alta de 0,29%, cotada a R$ 3,2339 na venda.

Fonte: G1 Globo

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114