Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Saldo das aplicações no Tesouro Direto cai 75% em 2017, para R$ 2,88 bilhões

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Nos últimos cinco meses do ano passado, resgates superaram as emissões de títulos públicos no programa. Número de investidores registrou aumento de 62,7%.

O valor total das aplicações no Tesouro Direto superou em R$ 2,88 bilhões os resgates de investimentos no programa em 2017, informou nesta quarta-feira (24) a Secretaria do Tesouro Nacional.

Esse montante é 74,8% menor que o verificado no ano anterior, quando o valor das aplicações superou o dos resgates em R$ 11,42 bilhões.

O Tesouro Direto é um programa criado em janeiro de 2002 e que permite a pessoas físicas a compra de títulos públicos pela internet.

Segundo o Tesouro Nacional, a queda nas vendas líquidas, no ano passado, se deve ao aumento dos resgates de títulos públicos.

"Além de duas torres de vencimentos altos em Janeiro e Março de 2017 (1,49 bi e 1,54bi respectivamente), as maiores até hoje no programa, os resgates antecipados aumentaram, em um movimento natural que reflete as condições de mercado, com juros mais baixos e valorização dos papéis", informou a instituição.

Analistas de mercado explicam que a venda de títulos públicos pelos investidores, nos últimos meses, pode estar relacionada com o fato de que os juros básicos da economia vêm caindo, o que faz com que os títulos comprados antes da queda, pelas pessoas físicas, valham mais.

Total de recursos aplicados
O saldo total (estoque) de títulos em mercado, segundo o governo, alcançou o montante de R$ 48,5 bilhões em dezembro, uma alta de 0,76% em relação a novembro (R$ 48,1 bilhões).
Na comparação com dezembro de 2016, quando o saldo estava em R$ 41,01 bilhões, o aumento foi de 18,12%.

"Os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 60,1%. Na sequência, aparecem os títulos indexados à taxa Selic, com participação de 23,1% e, por fim, os títulos prefixados, com 16,8%", informou o Tesouro Nacional.
Apesar da queda nas aplicações líquidas no programa em 2017, houve um forte aumento de 62,7% no número de investidores no ano passado, terminando dezembro em 1,8 milhão de pessoas.
"O número de investidores ativos chegou a 565.758, uma variação de 40,8% nos últimos doze meses", acrescentou a instituição.

Nova ferramenta
Recentemente, o governo lançou uma nova ferramenta do Tesouro Direto para ajudar o investidor a decidir onde aplicar seu dinheiro.
Trata-se de um simulador que permite fazer comparações entre os títulos públicos à disposição, além de compará-los com outras aplicações como poupança, CDB, LCI/LCA e fundo DI.
De acordo com o governo, o objetivo é dar "autonomia e poder de escolha para o investidor", que vai poder identificar rendimentos e vantagens de cada um deles.

fonte: g1.globo
 

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114