Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Dólar recua a R$ 3,26 após Temer dizer que está empenhado na reforma da Previdência

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Moeda fechou em queda de 0,40%, a R$ 3,2639 na venda.

O dólar fechou em queda ante o real nesta quarta-feira (8) após o esforço do presidente Michel Temer para mostrar que está empenhado na aprovação da reforma da Previdência, mas a cautela no mercado continuou diante da dificuldade política que o governo deve enfrentar no Congresso Nacional, destaca a Reuters.
O dólar recuou 0,40%, a R$ 3,2639 na venda, depois de ter fechado a R$ 3,277 na véspera.

Na mínima da sessão, o dólar marcou R$ 3,2406 e, na máxima, chegou a R$ 3,2693, segundo a Reuters.
"O ritmo da tramitação das reformas segue sendo um motivo de cautela no curtíssimo prazo", escreveu a corretora Guide em relatório.
Reforma da Previdência
Temer divulgou vídeo na terça-feira para afirmar que está empenhado na negociação da reforma da Previdência depois que o mercado se estressou após ele ter admitido que a proposta poderia não sair do papel.
Temer reúne-se nesta manhã com ministros, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e deputados para fechar os pontos da proposta que o governo deve tentar votar ainda este ano.
Após o encontro, Meirelles declarou que o governo seguia empenhado em conversas com lideranças parlamentares para aprovação das alterações ainda neste ano, e que 'não jogou a toalha'.
Já o deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), um dos vice-líderes do governo na Câmara, disse que a base governista vai apresentar nos próximos dias uma emenda substitutiva para a reforma da Previdência.
Toda essa movimentação ocorreu depois que, na noite de segunda-feira, Temer indicou que praticamente havia desistido da ideia de aprovar a reforma da Previdência. A reação dos mercados foi imediata, com o dólar e juros futuros subindo e a bolsa recuando na véspera.
Diante disso, o presidente e sua equipe saíram a campo para tentar reverter a ideia de que a reforma já estava desenganada, esforço que continuou nesta sessão.

O mercado vinha precificando cada vez mais temores de que o governo não conseguirá tirar a reforma da Previdência do papel, tanto pela aproximação do ano eleitoral de 2018 quanto pelo desgaste político no Congresso Nacional após Temer ter negociado com a base para segurar denúncias contra ele.
Só em outubro, o dólar acumulou alta de 3,32% ante o real, a maior variação mensal em quase um ano, e passou do patamar em torno de R$ 3,15 para algo mais próximo de R$ 3,30.
"Os investidores devem manter o fio de esperança de que algum sucesso ainda pode ser alcançado nesse ano, nem que seja uma reforma englobando apenas a elevação da idade mínima para a aposentadoria", trouxe a corretora H.Commcor em relatório, segundo a Reuters.
A trajetória de baixa do dólar nesta sessão contou ainda com a contribuição externa. A moeda norte-americana tinha leve baixa ante uma cesta de moedas no exterior por preocupações sobre possíveis atrasos no plano de reforma tributária do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

fonte: g1.globo

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114