Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Número de novas empresas cresce 5,1% no 3º tri

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 14/Dezembro/2018
  • CIDE | Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico.
  • COFINS/PIS-PASEP | Retenção na Fonte – Autopeças.
  • Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (EFD-Reinf)
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos (DCTFWeb)
  • EFD Contribuições.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O tipo de empresa que mais cresce é a do microempreendedor individual

O número de novas empresas registradas no Brasil cresceu 5,1% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre, informou a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em levantamento feito a partir de dados da Receita Federal.

No acumulado do ano até setembro, os registros avançaram 8,2% em relação a igual intervalo do ano passado.

O tipo de empresa que mais cresce é a do microempreendedor individual, conhecido pela sigla MEI, com expansão de 13,2% no acumulado do ano.

As chamadas microempresas (ME) tiveram aumento de 2,8%. Os demais segmentos, que somam as empresas de médio e grande porte, tiveram, juntos, queda de 19,1%.

O levantamento mostrou também que o setor de serviços ganhou representatividade, passando de 55,7% no acumulado do 2º trimestre para atuais 55,9%.

O comércio, por sua vez, ficou estável em 34,7%. A indústria caiu de 8,6% para 8,1%, enquanto o agronegócio cresceu de 1,1% para 1,3%.

As regiões Centro-Oeste e Norte foram as que mais avançaram no número de novas empresas, no acumulado do ano, com altas de 12,4% e 11,3%, respectivamente. As demais regiões tiveram avanços mais tímidos: Sul (10,8%), Sudeste (7,4%) e Nordeste (4,8%).

fonte: fenacon.org

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114