Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Bolsa e dólar fecham em alta nesta terça

maisCotações e Índices

Moedas - 19/07/2019 13:19:24
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,739
  • 3,740
  • Paralelo
  • 3,710
  • 3,900
  • Turismo
  • 3,590
  • 3,890
  • Euro
  • 4,196
  • 4,200
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,809
  • 3,811
  • Libra
  • 4,673
  • 4,676
  • Ouro
  • 172,170
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 19/Julho/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte.
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte.
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras.
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.
  • Informe de Rendimentos Financeiros - PJ
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O principal índice da bolsa paulista fechou praticamente estável nesta terça-feira (26), com investidores adotando cautela diante do cenário político interno e de olho nas tensões entre Coreia do Norte e Estados Unidos.

O Ibovespa fechou com alta de 0,08%, a 74.500 pontos. 

O mercado avalia como a segunda denúncia pode influenciar o andamento da Reforma da Previdência. A denúncia, contudo, segue parada na Câmara. 

O governo dos EUA afirmou nesta segunda-feira (25), através da porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, que "não declarou guerra" à Coreia do Norte. O Ministério das Relações Exteriores de Pyongyang havia anunciado que as ameaças de Donald Trump em seu discurso na Assembleia das Nações Unidas representaram uma "declaração de guerra". 

Às 11h26, o Ibovespa tinha alta de 0,69%, aos 74.958 pontos. As ações ordinárias da Vale avançavam 2,4%, após a queda de sessões anteriores. As preferenciais da Petrobras registravam estabilidade. Na segunda-feira (25), o índice fechou em queda de 1,26%, aos 74.443 pontos.

O dólar fechou em alta nesta terça-feira (26), no maior patamar em mais de um mês, após a chair Janet Yellen do Federal Reserve, banco central norte-americano, ter reforçado a possibilidade de mais uma alta de juros nos Estados Unidos neste ano.

O dólar fechou com alta de 0,29%, a R$ 3,1666 na venda.

Às 11h35, o dólar avançava 0,22%, a R$ 3,1661. No dia anterior, fechou com alta de 0,95%, vendida a R$ 3,1574.

No cenário externo, o dólar atingiu a máxima da sessão após a fala de Yellen ante uma cesta de moedas. Também subia ante moedas emergentes como os pesos chileno e mexicano.

A alta também foi influenciada pelas tensões entre EUA e Coreia do Norte. E no cenário interno, os investidores acompanharam a leitura da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados. A preocupação é de que a denúncia atinja o andamento das reformas do Congresso.

O BC vendeu integralmente a oferta de até 12 mil contratos de swap cambial tradicional -equivalentes à venda futura de dólares - no leilão para rolagem do vencimento de outubro. Até agora já foram rolados 4,8 bilhões de dólares do total de 9,975 bilhões de dólares que vencem no mês que vem.

fonte: jb.com

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114