Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Balança comercial tem superávit de US$48 bi no ano até agosto, já maior que 2016 todo

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil registrou superávit comercial de 5,599 bilhões de dólares em agosto, melhor resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1989, divulgou o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) nesta sexta-feira.

O resultado foi impulsionado pelo aumento das exportações, que somaram 19,475 bilhões de dólares, alta de 14,7 por cento, pela média diária, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já as importações somaram 13,876 bilhões de dólares no período, avanço 8 por cento na mesma comparação.

No acumulado dos oito primeiros meses do ano, o superávit da balança comercial é de 48,109 bilhões de dólares, alta de 48,6 por cento sobre o mesmo período do ano passado, e já supera o resultado alcançado em 2016 todo (47,7 bilhões de dólares).

A expectativa do MDIC é que o Brasil registre superávit comercial de 60 bilhões de dólares em 2017.

None

DESTAQUES

As exportações tiveram alta generalizada em agosto e foram puxadas pelo aumento de 24,2 por cento de produtos básicos na comparação com o mesmo mês do ano passado. As vendas de produtos manufaturados avançaram 9,7 por cento e a de semimanufaturados cresceram 3,4 por cento.

No grupo dos produtos básicos, o destaque ficou com milho em grão (alta de 89,3 por cento, a 818 milhões de dólares), minério de cobre (avanço de 48,8 por cento, a 242 milhões de dólares) e carne bovina (aumento de 48,6 por cento, a 521 milhões de dólares).

Entre as importações, houve crescimento expressivo na compra de combustíveis e lubrificantes (avanço de 56,6 por cento, a 1,517 bilhão de dólares), bens de capital (alta 6,6 por cento, a 1,471 bilhão de dólares) e bens intermediários (crescimento de 4,8 por cento, a 8,779 bilhões de dólares).

fonte: noticiasr7.com

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114