Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Governo eliminará tarifas de importação para alguns produtos de informática

maisCotações e Índices

Moedas - 20/02/2019 15:58:40
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,714
  • 3,715
  • Paralelo
  • 3,690
  • 3,880
  • Turismo
  • 3,570
  • 3,860
  • Euro
  • 4,223
  • 4,226
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,720
  • 3,720
  • Libra
  • 4,859
  • 4,861
  • Ouro
  • 158,410
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 21/Fevereiro/2019
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais. 
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) anunciou ontem a eliminação de impostos de importação para um total de 4.903 produtos. De acordo com o Estado de São Paulo, a medida afetará máquinas, equipamentos e produtos de informática sem equivalente nacional.

Essa redução tem a finalidade de facilitar o investimento de empresas em setores que não têm maquinário produzido no Brasil. Nesses casos, as empresas já podiam solicitar essa redução apresentando projetos de investimento e justificando a necessidade de importar os bens com tarifa reduzida. Se aprovado o projeto, a tarifa de importação caía de 14% para até 2%. Agora, no entanto, esses 2% serão reduzidos para zero.

Dos 4.903 produtos que entrarão nessa categoria, 4.552 são bens de capital (máquinas de linha de produção e outros equipamentos usados para fins produtivos) e 351 são bens de consumo. Segundo o ministério, "serão beneficiadas importações de equipamentos para indústrias dos setores médico-hospitalar, autopeças, alimentício, eletroeletrônico e de embalagem, entre outros". 

Mas é pouco provável que produtos como celulares, notebooks, games e peças de hardware deixem de ser taxados. Isso por dois motivos: primeiro, porque o objetivo da medida é estimular o investimento, e esses produtos dificilmente entrariam nessa categoria; segundo, porque eles têm equivalentes produzidos no Brasil.

Com essa medida, o governo deixará de recolher pelo menos R$ 28 milhões. No entanto, o intuito dela é estimular decisões de investimento, que se tornam menos caras com o fim dos impostos.

fonte: olhardigital.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114