Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Economia deve crescer de cerca de 0,7% no primeiro trimestre, estima Meirelles

maisCotações e Índices

Moedas - 24/04/2019 16:55:27
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,987
  • 3,988
  • Paralelo
  • 3,950
  • 4,160
  • Turismo
  • 3,820
  • 4,140
  • Euro
  • 4,447
  • 4,449
  • Iene
  • 0,036
  • 0,036
  • Franco
  • 3,908
  • 3,907
  • Libra
  • 5,145
  • 5,148
  • Ouro
  • 161,030
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 25/Abril/2019
  • COFINS
  • PIS/Pasep
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Se a projeção se confirmar, o País terá saído de uma recessão que se arrastou por 2 anos

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta segunda-feira (29) que o PIB (Produto Interno Bruto) — soma de todos os bens e serviços produzidos no País — do primeiro trimestre deve mostrar crescimento de cerca de 0,7% ante os três últimos meses de 2016.

O PIB do primeiro trimestre será divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na quinta-feira (31). De acordo com o ministro, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, o crescimento deve ficar entre 2,5% e 3%. Se a projeção de Meirelles se confirmar, a economia brasileira terá saído de uma recessão que se arrastou por dois anos.

Os analistas consultados pelo Banco Central, segundo o relatório Focus, estimam que a economia brasileira deve crescer 0,49% este ano e 2,48% no ano que vem.

Em conversa com jornalistas estrangeiros, o ministro também afirmou que não existe um plano B para aprovar a reforma da Previdência por decreto.

A reforma da Previdência é fundamental para colocar as contas públicas em ordem. A aprovação da medida, no entanto, deve atrasar no Congresso por causa da crise política que atinge em cheio o governo Michel Temer.

Segundo o ministro, do ponto de vista fiscal, não importa muito se a reforma da Previdência for aprovada neste ano ou no próximo.

fonte: noticiasR7.com

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114