Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Microsoft lança correção para falha grave descoberta pelo Google

maisCotações e Índices

Moedas - 10/12/2018 13:15:50
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,927
  • 3,928
  • Paralelo
  • 3,900
  • 4,090
  • Turismo
  • 3,770
  • 4,090
  • Euro
  • 4,477
  • 4,480
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,971
  • 3,971
  • Libra
  • 4,962
  • 4,965
  • Ouro
  • 154,130
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 10/Dezembro/2018
  • Comprovante de Juros sobre o Capital Próprio-PJ.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.
  • Envio da Guia da Previdência Social aos Sindicatos.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

No fim da última semana, pesquisadores do Google descobriram uma falha no software anti-malware do Windows que poderia deixar o dispositivo suscetível a ataques remotos. Pelo Twitter, Tavis Ormandy e Natalie Silvanovich explicaram que o ataque pode acontecer por e-mail e que não é preciso nem que o usuário abra e leia a mensagem inteiramente.

O problema foi relatado à Microsoft, que lançou nesta terça-feira, 9, uma correção do bug. Segundo a empresa, ele permitia que assumir o controle do sistema. "Um invasor que explorasse com êxito essa vulnerabilidade poderia executar um código arbitrário e assumir o controle do sistema. O invasor poderia então instalar programas, visualizar, alterar ou excluir dados ou criar novas contas com direitos de usuários completos", explica a companhia.

Para que a vulnerabilidade fosse explorada, era preciso que um arquivo criado para o ataque fosse verificado pelo Microsoft Malware Protection Engine, o que poderia acontecer por e-mail ou mesmo em um site visitado.

Assim, essa falha é gravíssima, e possibilita o controle total da máquina, sem que o usuário sequer precise cometer algum erro. É o tipo de falha que precisa ser corrigida o mais rápido possível, e caberá aos usuários aplicar o update o quanto antes. De acordo com o Google, a versão vulnerável do Malware Protection Engine está ativada por padrão no Windows 8, 8.1, 10, Server 2012 e outras.

A falha foi considerada tão grave, que a Microsoft anunciou um pacote emergencial de correção. Tradicionalmente, a empresa só lança atualizações de segurança na segunda terça-feira do mês, conhecida como "Patch Tuesday". Pela situação crítica, a Microsoft preferiu não esperar até junho para remediar a situação, e revelou que a atualização será disponibilizada nos próximos dois dias. Fique atento a isso e atualize seu PC o quanto antes.

Fonte: olhardigital.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114