Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Nota Fiscal Paulista terá alteração no valor reembolsado

maisCotações e Índices

Moedas - 18/04/2019 15:58:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,911
  • 3,911
  • Paralelo
  • 3,890
  • 4,110
  • Turismo
  • 3,760
  • 4,080
  • Euro
  • 4,392
  • 4,393
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,853
  • 3,852
  • Libra
  • 5,088
  • 5,091
  • Ouro
  • 160,500
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 20/Abril/2019
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

O governo de São Paulo estuda mudanças nos valores restituídos pelo programa Nota Fiscal Paulista, que devem ocorrer até a primeira semana de março. O objetivo da mudança é incentivar a emissão dessas notas, que tem decrescido com o tempo, segundo a Secretaria da Fazenda estadual. Também, pretende aumentar a participação da Nota Fiscal Paulista nos grupos de itens menos declarados, e desincentivar o consumo de certos produtos.

Atualmente, os contribuintes que informam o CPF em compras feitas no estado recebem o equivalente a 20% do Imposto sobre Circulação de Produtos e Serviços (ICMS). Com a mudança, os itens serão classificados em faixas que vão de 0% a 30% desse tributo. Dentre os itens que terão a devolução máxima, estão livros, jornais e revistas. Já produtos de tabacaria, fogos de artificio e de armas e munições  terão a alíquota de devolução zerada, informou a pasta.

ICMS

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou na última terça-feira um projeto de lei para reduzir as penalidades de multa e juros para devedores no caso de infrações à legislação do ICMS. O texto será  enviado à Assembleia Legislativa do estado para ser discutido. Hoje, o teto pode chegar a 300% do imposto devido e, com as novas regras propostas, passa a ser de 100%. A multa ainda pode ser reduzida em 35% caso haja a confissão formal da infração.

De acordo com o governo, o objetivo é facilitar a regularização das obrigações tributárias de empresas com débitos e permitir que elas possam continuar suas atividades. O secretário da Fazenda do estado, Hélcio Tokeshi, disse que a nova lei é o começo de uma “ampla agenda” do governo para simplificar o pagamento de impostos.

A administração do estado espera que a medida beneficie “mais de 10 mil contribuintes” que hoje discutem os débitos no âmbito administrativo, hoje em 110 bilhões de reais. Segundo Tokeshi, não é possível apontar qual seria a expectativa revisão da arrecadação com a redução das multas e juros.

Fonte: veja.abril.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114