Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Venda de títulos do Tesouro bate recorde para o mês em dezembro

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A venda de títulos públicos a pessoas físicas somou R$ 1,715 bilhão em dezembro, informou nesta terça-feira (24/01) o Tesouro Nacional. 

O valor vendido por meio do programa Tesouro Direto é recorde para meses de dezembro e o quarto melhor resultado de 2016. O recorde mensal de vendas no ano passado ocorreu em janeiro, com R$ 1,848 bilhão.

Apenas no mês passado, 19.240 participantes passaram a fazer parte do programa, elevando para 401,8 mil o número de investidores ativos. 

Nos últimos 12 meses, o total de investidores ativos (que efetivamente possuem aplicações) subiu 71,8%.

Em dezembro, os títulos mais vendidos foram os corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial. Esses papéis concentraram 51,6% das vendas em dezembro.

Em segundo lugar, vieram os papéis vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia), que responderam por 28% das vendas.

Em terceiro, ficaram os títulos prefixados (com juros definidos antecipadamente), que responderam por 20,4% das vendas.

Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 5 mil concentraram 73,5% do volume aplicado no mês.

Com o resultado de dezembro, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto subiu 3,7% em relação a julho, alcançando R$ 41,1 bilhões, superando pela primeira vez a barreira de R$ 40 bilhões.

Isso ocorreu porque, no mês passado, o Tesouro resgatou R$ 616,3 milhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

INVESTIMENTO

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas pudessem adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros.

O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

Fonte: dcomercio.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114