Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Poupança volta a render mais que a inflação em 2016, diz consultoria

maisCotações e Índices

Moedas - 07/12/2018 17:39:00
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,890
  • 3,890
  • Paralelo
  • 3,860
  • 4,070
  • Turismo
  • 3,860
  • 4,100
  • Euro
  • 4,446
  • 4,447
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,931
  • 3,930
  • Libra
  • 4,963
  • 4,966
  • Ouro
  • 155,290
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 10/Dezembro/2018
  • Comprovante de Juros sobre o Capital Próprio-PJ.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.
  • Envio da Guia da Previdência Social aos Sindicatos.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A poupança rendeu 8,3% em 2016, enquanto a inflação oficial no ano foi de 6,29%, segundo dados do IBGE divulgados nesta quarta-feira (11). Isso significa que quem guardou suas economias na poupança ao longo do ano passado conseguiu cobrir a perda da inflação e ainda ficar com um dinheiro extra.

Foi o terceiro ano consecutivo de alta, e o melhor resultado da poupança desde 2006, segundo levantamento da consultoria Economatica.

Em 2015, a poupança havia rendido 8,15%, mas a inflação oficial no ano havia sido de 10,67%. Ou seja, o poupador perdeu poder de compra naquele ano.

Terceiro melhor investimento

De acordo com a Economatica, o ganho real da poupança no ano passado (descontada a inflação*) foi de 1,9%.

Com isso, ela fica atrás de outros dois investimentos. A Bovespa liderou, com ganho real de 30,72%, seguida do CDI, com alta de 7,25% acima da inflação. 

Saques superaram depósitos

No ano passado, os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 40,702 bilhões, no segundo pior resultado desde o início da pesquisa, em 1995. O resultado só foi melhor que o de 2015, quando a caderneta havia perdido R$ 53,568 bilhões.

As informações foram divulgadas pelo Banco Central na última quinta-feira (5).

A poupança perde recursos em meio à crise econômica, com expectativa de queda de 3,49% no PIB (Produto Interno Bruto) em 2016. O desemprego alto, com taxa de 11,9%, e as sucessivas quedas na renda vêm pressionando o orçamento dos brasileiros. 

Soma-se a isso o fato de os juros estarem altos, atraindo recursos para investimentos mais rentáveis.

Fonte: uol.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114