Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Endividamento das famílias atinge menor nível desde 2012

maisCotações e Índices

Moedas - 14/12/2018 16:03:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,900
  • 3,901
  • Paralelo
  • 3,880
  • 4,080
  • Turismo
  • 3,750
  • 4,060
  • Euro
  • 4,407
  • 4,408
  • Iene
  • 0,034
  • 0,034
  • Franco
  • 3,913
  • 3,912
  • Libra
  • 4,900
  • 4,903
  • Ouro
  • 152,150
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 17/Dezembro/2018
  • INSS | Previdência Social.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) relativa ao mês de dezembro demonstrou que 56,2% das famílias possuem algum tipo de dívida, o menor patamar registrado desde maio de 2012.

Em novembro, o endividamento alcançava 57,3% das famílias e, em dezembro do ano passado, 61,1%, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, responsável pela pesquisa.

"Apesar da desaceleração da inflação, a manutenção do crédito caro, aliada ao alto nível de desemprego, limita o consumo e, consequentemente, reduz os níveis de endividamento. Contudo, em médio prazo, não deve haver um recuo mais intenso dos indicadores de inadimplência devido às condições econômicas adversas", afirmou o economista da CNC Bruno Fernandes, em nota.

O porcentual de famílias que possui dívidas ou contas em atraso é de 23%, ante 23,4% em novembro e 23,2% na comparação anual. Já o total de entrevistados que informou que permanecerá inadimplente caiu de 9,1% em novembro para 8,7% em dezembro. Em comparação ao mesmo período do ano passado, o indicador apresenta estabilidade.

O tempo médio de atraso para o pagamento de dívidas é de 63,8 dias. Em média, o comprometimento com dívidas é de 6,9 meses, sendo que 32,7% possuem dívidas por mais de um ano. Entre as famílias brasileiras, 21,5% têm mais da metade da sua renda mensal comprometida com o pagamento de dívidas.

Para 77,1% dos entrevistados, o cartão de crédito permanece como a principal ferramenta de endividamento, seguido de carnês (14,4%) e financiamento de carro (10,4%).

Fonte: dcomercio.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114