Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Gasto mensal com e-commerce já supera o feito em shoppings

maisCotações e Índices

Moedas - 07/12/2018 17:39:00
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,890
  • 3,890
  • Paralelo
  • 3,860
  • 4,070
  • Turismo
  • 3,860
  • 4,100
  • Euro
  • 4,446
  • 4,447
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,931
  • 3,930
  • Libra
  • 4,963
  • 4,966
  • Ouro
  • 155,290
  •  
Mensal - 06/12/2018
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • 0,21
  • 0,40
  • Ipc/Fipe
  • 0,39
  • 0,48
  • Ipc/Fgv
  • 0,34
  • 0,48
  • Igp-m/Fgv
  • 1,52
  • 0,89
  • Igp-di/Fgv
  • -
  • 0,26
  • Selic
  • 0,47
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,55
  • 0,55
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 10/Dezembro/2018
  • Comprovante de Juros sobre o Capital Próprio-PJ.
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados.
  • Envio da Guia da Previdência Social aos Sindicatos.
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Uma pesquisa realizada pela Ipsos em nove regiões metropolitanas brasileiras revela que usuários de internet já gastam, em média, mais com compras online que em shopping centers. No entanto, a alta preocupação com segurança na internet ainda faz com que muitos prefiram comprar em lojas físicas, indica o estudo.

De acordo com dados do EGM (Estudo Geral de Meios), conduzido pela Ipsos Connect, usuários de internet gastam, em média, R$ 428 mensalmente no e-commerce enquanto o valor declarado gasto em shoppings é de R$ 229. O valor médio varia de acordo com a classe social: o montante gasto por aqueles das classes AB chega a R$ 475, enquanto o despendido por aqueles da DE é de R$ 269.

A pesquisa mostra que a maioria do público entrevistado procura informações na internet antes de realizar uma compra (63%), embora para grande parte deles segurança ainda é a principal preocupação no uso da internet: oito em cada dez entrevistados (79%) declararam temer possível falta de segurança na rede.

“O e-commerce brasileiro tem mostrado forte evolução nos últimos anos, mas a modalidade tem muito ainda a desenvolver. O acesso à internet, exacerbado pelo rápido crescimento de smartphones, faz com que mais pessoas se aproximem desta modalidade de compra. O interessante será ver as estratégias das marcas para conseguir derrubar mitos e conseguir que essa busca por informação na hora da compra que se dá na internet possa se concretizar na compra dos seus produtos,” afirma Diego Pagura, diretor de negócios de Ipsos Connect, responsável pelo estudo.

O levantamento aponta ainda que um quinto dos entrevistados realizou alguma compra pela internet nos últimos 30 dias. Os maiores índices de compra online ocorrem nas classes mais altas: 30% dos pesquisados das classes AB declararam ter feito uma aquisição online no último mês, comparado com apenas 8% entre as pessoas ouvidas das classes DE. Na classe C, o índice também é baixo, metade do registrado entre aqueles de classes mais altas: 15%.

Quando se olha para a faixa etária, o principal grupo consumidor na internet são os jovens de 24 a 34 anos (23% compram online), seguido por aqueles de 18 a 24 anos (21%). Entre os acima de 65 anos, o índice é de apenas 15%. Já com relação ao gasto médio mensal, a ordem é inversa: a partir dos 25 anos o ticket médio mensal é mais alto, alcançando o pico (R$574) entre os internautas na faixa dos 45 a 54 anos.

A pesquisa Ipsos foi realizada entre julho de 2015 e junho de 2016 com 22.576 entrevistas presenciais nas principais regiões metropolitanas do país. As cidades monitoradas foram Grande Curitiba, Grande Fortaleza, Grande Salvador, Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro, Grande Distrito Federal, Grande Recife, Grande Belo Horizonte e Grande Porto Alegre. A margem de erro é de 0,65% para mais ou para menos.

Fonte :www2.uol.com.br

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114