Associação Profissional dos Contabilistas de Lins

Receita esclarece mudanças nas regras do IOF para compra de dólar

maisCotações e Índices

Moedas - 24/04/2019 16:55:27
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,987
  • 3,988
  • Paralelo
  • 3,950
  • 4,160
  • Turismo
  • 3,820
  • 4,140
  • Euro
  • 4,447
  • 4,449
  • Iene
  • 0,036
  • 0,036
  • Franco
  • 3,908
  • 3,907
  • Libra
  • 5,145
  • 5,148
  • Ouro
  • 161,030
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

maisObrigações Tributárias do Dia

  • 25/Abril/2019
  • COFINS
  • PIS/Pasep
  • IPI | Imposto sobre Produtos Industrializados
O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

A Secretaria de Receita Federal publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (09/06) instrução normativa para esclarecer dúvidas sobre as alterações promovidas em maio na cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

No mês de maio, o governo elevou o IOF para a aquisição de moeda estrangeira em espécie de 0,38% para 1,1%.

A instrução normativa explica que a expressão “aquisição de moeda estrangeira em espécie", contida no inciso XX do art. 15-B do Decreto nº 6.306, de 14 de dezembro de 2007, “refere-se à operação cambial na qual a entrega da moeda estrangeira pela instituição autorizada a operar no mercado de câmbio ao seu cliente é realizada em espécie."

A instrução traz ainda que as operações de aquisição de moeda estrangeira em espécie realizadas entre bancos e instituições autorizadas a operar no mercado de câmbio permanecem pagando alíquota zero.

Já as operações realizadas pelas carteiras dos fundos de investimentos e dos clubes de investimentos com operações compromissadas realizadas por instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central com debêntures emitidas por instituições integrantes do mesmo grupo econômico “não estão sujeitas à alíquota zero”.

Fonte: dcomercio.com.br - 09 de Junho de 2016

Site desenvolvido pela TBrWeb (XHTML / CSS)
Associação Profissional dos Contabilistas de Lins  |  Rua Floriano Peixoto, n° 1.093 - Centro - Lins, SP | CEP 16.400-101
Fone 14. 3513-0114